Período Sabático: você sabe o que é e para que serve?

Postado em: 15 01 2017 por Pedro Silva 5 Comentários

Quem nunca pensou em dar uma pausa na rotina, no trabalho e na vida corrida e se dedicar por um tempo a um projeto pessoal, a uma viagem há muito sonhada ou a uma temporada de puro ócio?

Então afinal, o que é o período sabático?

Um período sabático faz parte dos planos de muita gente, mas poucos são aqueles que o colocam em prática. Na maioria das vezes, por acharem que se trata de algo inacessível – tanto do ponto de vista prático quanto do financeiro. Mas mesmo no Brasil, onde o conceito ainda não é tão difundido, a experiência mostra que uma pausa pode ser totalmente viável – e transformadora.

Você sabe o que é o período sabático?

Um tempo para si mesmo é fundamental e muitas pessoas o tratam como se fosse um grande luxo. Não é. É saudável descobrir-se outra vez, pensar sobre decisões a serem tomadas, sentimentos a serem vividos”, diz a psicóloga intercultural Andréa Sebben. O afastamento sabático surgiu nas universidades, que passaram a conceder licenças de um ano a seus professores a cada seis lecionados. Não demorou para o conceito ser incorporado pelo mundo corporativo como um benefício que a empresa dá a executivos com determinado tempo de casa. Ao fim do intervalo, é assegurado o retorno ao cargo.

Como no Brasil quase nenhuma empresa tem uma política com relação ao período sabático, cabe ao funcionário negociar sua vaga ou pedir demissão. Mas é preciso não confundir o sabático com férias. Ele é determinado por um projeto pessoal que nem sempre está ligado ao descanso e ao ócio. O período tem que partir de uma motivação pessoal: seja repensar a vida, resgatar o sonho de estudar fotografia, trabalhar com crianças carentes da Ásia ou até conhecer o mundo. E, diferentemente do que muitos pensam, nem sempre precisa durar um ano. “Mas o tempo necessário para produzir mudança. A duração vai depender de cada objetivo”, afi rma Herbert Steinberg, autor do livro Sabático – Um Tempo para Crescer.

Para saber qual é o melhor sabático para você, conheça alguns exemplos:

• A fotógrafa Roberta Goldfarb e seu marido decidiram passar dez meses viajando por 26 países. “Incluímos no roteiro especialmente lugares onde será difícil voltarmos com nossos filhos, da África do Sul a Zanzibar”, diz ela. A experiência rendeu o blog Relicário (www.relicario.etc.br), em que eles contam suas impressões, dos preparativos à saudade que tiveram.

• O executivo Ciro Kawamura trocou altos cargos em empresas de telefonia e serviços por períodos de ócio. O que, para um workaholic como ele, não foi nada fácil. Teve dois sabáticos e, para ambos, pediu demissão. Aproveitou o tempo para fi car em casa, programar a aposentadoria, aprender a surfar e fazer pesquisas para abrir um negócio no futuro. Para tirar um sabático, é importante “ter reservas, controlar a ansiedade e não sentir culpa”, conforme ele conta no Guia Fuja por Um Ano (Publifolha).

Você sabe o que é o período sabático?

• Já a jornalista Luíza Salmon (antevasina.wordpress.com) tinha acabado de se formar quando surgiu o trabalho em uma ONG em Jacarta. Não pensou duas vezes e passou oito meses “tomando banho de caneca, ganhando pouco e vivendo uma situação quase impossível”, como descreve. “Viajei pela Indonésia, Tailândia, Camboja, Vietnã e Laos. Nunca imaginei que pudesse viver algo tão diferente e inspirador.” Aliás, todo sabático é possível, se bem planejado. Vire a página e saiba como programar o seu. Rafael Tonon

***

Período sabático é raridade no Brasil

Três meses, seis meses ou um ano, a concessão de um período sabático para os colaboradores ainda não é uma prática comum no mercado de trabalho brasileiro.

A concessão de um período sabático para os colaboradores ainda não é uma prática comum no mercado de trabalho brasileiro. Apenas 8,4% das companhias oferecem essa “licença” ou pausa para seus funcionários, e 73,3% não oferecem o benefício, segundo levantamento realizado pela Robert Half, empresa de recrutamento especializado. O índice de desconhecimento sobre a prática do benefício também é alta: 18,2% dos entrevistados sequer sabem se sua empresa concede – ou não – a licença.

Esta prática não é muito difundida por aqui e, infelizmente, pouca evolução se viu em relação a isso“, comenta William Monteath, diretor de operações da Robert Half no Rio de Janeiro. O executivo afirma também que existe muita insegurança por parte do próprio profissional em tirar esse período de licença, por medo de perder seu cargo, de ser visto como pouco comprometido ou de ficar, de alguma forma, defasado em relação aos colegas.

Para Monteath, a prática do período sabático pode não ter “pegado” no Brasil por conta da grande preocupação dos profissionais em prejudicar, de alguma forma, a produtividade da empresa. Sem falar na limitação de recursos das equipes no Brasil e em outros países da América Latina, por exemplo. “Nos Estados Unidos e na Europa, que são mercados mais maduros, a visão é de longo prazo, enquanto no Brasil, ainda é de curto”, aponta o executivo.

Você sabe o que é o período sabático?

E se a moda pegar?

A pesquisa revela que 70,1 % dos entrevistados dizem que concederiam o benefício (de no mínimo seis meses) aos membros de sua equipe, e 86% gostariam de desfrutá-lo. Aproveitar a oportunidade para se qualificar profissionalmente é apontada com a principal vantagem do período sabático, segundo 73% dos entrevistados, seguida pela oportunidade de desenvolver projetos pessoais (66,7%) e ter tempo para o autoconhecimento (48,6%).

Por outro lado, 57,1% dos executivos identificam o risco de perder o cargo como a principal desvantagem do período sabático, seguido por ser visto pelos colegas como alguém pouco comprometido com a equipe (52,3%).

– Vale a pena ver e ler também:

Sabático, mas com projeto. – http://vocesa.abril.com.br/desenvolva-sua-carreira/materia/sabatico-projeto-692107.shtml

Aprenda a negociar um período sabático – http://vocesa.abril.com.br/desenvolva-sua-carreira/materia/especial-educacao-internacional-aprenda-negociar-periodo-sabatico-634202.shtml

lucky-shamrock

5 Respostas

  1. Glaucia disse:

    Fui recentemente demitida e aproveitei para dedicar um tempo para mim e realizar algum projeto de vida. Vendo esta reportagem me identifiquei bastante pois descobri que estou num período sabático em minha vida.
    Não me sinto culpada nem com medo.. Só que temos que desfazer de muitas mordomias para economizar.

  2. Thiago disse:

    Estou também num periodo sabatico, devido a problemas de saúde de minha mãe.
    Da um pouco de medo, especialmente com essa economia horrorosa que vivemos mas estou começando a limpar a casa ( minha cabeça), viver um dia de cada vez e curtindo o tempo que tenho com ela.
    As vezes tenho uma ansiedade grande de tudo que estou passando ate porque meu período sabático não foi programado, mas estou aceitando os limões que a vida esta me dando e começando a fazer a minha limonada… apesar de detestar limão …rs

    Abs

  3. Rodrigo Maynard disse:

    Olá. Estou passando por um ciclo sabático. Trabalhei Por mais de 8 anos em um banco privado, onde a maioria das pessoas são infelizes…isso me martirizava e apesar de saber que aqui ali não era pra mim, eu não tinha coragem de viver um tempo só p mim. Minha esposa me deu uma força e me ajudou emocionalmente a viver essa minha fase. Estou na nova ZELÂNDIA estudando inglês, uma língua que sempre fui bloqueado. To tentando quebrar minhas barreiras e limitações. Muitas horas de solidão faz com que entendemos de fato quem somos nós! O ócio as vezes é necessário. A saudade é grande mas é fortalecedor esse encontro com o seu “eu interior”.
    Valeu Gente✌️

  4. […] fui ver a definição neste site aqui, vi que o que até então eu chamava de “presente”, era na verdade, um período […]

  5. ANTONIO C CASCAO disse:

    Pretendo tirar um período sabático na viagem q farei a Portugal.
    Numa pequenina Aldeia na região de Tras-os-Montes.
    Acho q um mês.
    Só pra repensar o modo de vida

Deixe um comentário